Participam do debate representando Minas Gerais a diretora Cultural da
Fundação Clóvis Salgado, Luciana Salles. Marca presença também um nome
importante do estado do Pará: a diretora artística do Festival de Ópera do
Theatro da Paz, Jena Vieira. Por fim, integram a mesa dois representantes de
duas instituições de São Paulo fundamentais no campo ópera: Paulo Zuben,
diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina, e Ricardo Appezzato, gestor

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
artístico do Theatro São Pedro. O debate terá mediação dos curadores e
idealizadores da Academia de Ópera: a encenadora Livia Sabag e o maestro
Gabriel Rhein-Schirato.
Este encontro virtual reúne alguns dos mais importantes gestores e diretores
artísticos de instituições culturais brasileiras que desenvolvem projetos artísticos
e pedagógicos relevantes e inovadores no campo da ópera no Brasil. Dentre os
assuntos que serão abordados estão o diálogo entre o teatro de ópera e a
sociedade, acessibilidade e representatividade de diferentes setores da
sociedade, programação do repertório tradicional, criação de novas obras e
processos colaborativos entre equipes.
A live “Novos tempos, novas práticas: programação, gestão de equipes e
processos colaborativos nas instituições culturais” faz parte de um ciclo de
conversas que acontecem todos os sábados, entre 15h e 17h, até o dia 27 de
novembro de 2021. Esta atividade já contou com a participação de artistas e
pesquisadores renomados, brasileiros e estrangeiros. Já participaram das
conversas grandes nomes, como o libretista e membro da Academia Brasileira
de Letras, Geraldo Carneiro; o dramaturgista alemão Johannes Blum, a
pesquisadora do Centro de Estudo de Sociologia e Estética Musical – CESEM, na
Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa,
Jelena Novak; o encenador brasileiro Allex Aguilera; entre outros.
Os eventos abertos ao público da Academia de Ópera 2021 integram
a Temporada de Ópera on-line 2021 da Fundação Clóvis Salgado e são
realizados pelo Governo de Minas Gerais / Secretaria de Estado de Cultura e
Turismo, pela Fundação Clóvis Salgado, e correalizados pela Appa – Artes e
Cultura. Têm como apresentadora do Programa a  Unimed-BH / Instituto
Unimed-BH¹, e como patrocinadores a Cemig e a  AngloGold Ashanti , por meio
da Lei Federal de Incentivo à Cultura.
¹ O patrocínio da Unimed-BH / Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de
mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
A Fundação Clóvis Salgado é integrante do Circuito Liberdade, complexo
cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas
Gerais (Secult) que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de
manifestação de arte e de cultura em transversalidade com o turismo.
Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito
buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com
foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda,
além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades
propostas.

Luciana Salles – Formada em Comunicação Social com habilitação em
Relações Públicas. Tem especialização em Planejamento e Gestão Cultural e
extensão em Gestão de Espaços Culturais e Competências Criativas para a
Cultura. Fundou e dirigiu a Bangalô Produções. Integrou o núcleo gestor do
programa nacional de música Conexão Vivo. Participou da curadoria e produção
do Festival Natura Musical nas edições Belo Horizonte. Respondeu pela
programação do Circuito Cultural Praça da Liberdade e também do Sesc
Palladium. Atualmente, é diretora cultural da Fundação Clóvis Salgado.

Jena Vieira – Fez curso de graduação e mestrado em canto lírico na
Universidade de Missouri, Columbia, onde foi aluna de Jo Ella Todd. Doutoranda
em canto da Universidade de Oklahoma, Norman, estudou com a renomada
mezzo-soprano Marilyn Horne. Em Oklahoma, iniciou seus estudos de direção
de ópera com William Ferrara, de quem foi assistente. Trabalhou como diretora
de palco do OU Opera Theater e assistente de direção da Cimarron Opera
Company. Estudou direção de ópera em Florença, com o professor Rodolfo
Tommasi. Em 2019 foi Diretora Técnica da Fundação Carlos Gomes, dirigindo
importantes festivais como o FIMUPA e o Festival de Bandas do Pará. Desde
2019, vem assinando a direção artística do Festival de Ópera do Theatro da
Paz.

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
Paulo Zuben – Compositor e administrador de empresas. Tem doutorado em
Musicologia (2009) pela ECA-USP e mestrado em Comunicação e Semiótica
(2003) pela PUC-SP. Possui graduação em Música (2000) com bacharelado em
Composição pela Faculdade Santa Marcelina (FASM), e graduação em
Administração de Empresas (1991) pela FGV de São Paulo. Desde 2008, é o
diretor artístico-pedagógico da Santa Marcelina Cultura, Organização Social
responsável pela gestão da EMESP Tom Jobim, do Theatro São Pedro e do
Projeto Guri na Capital e Grande São Paulo. Foi diretor executivo do Festival
Internacional de Inverno de Campos do Jordão dos anos de 2009 e 2010 e
diretor artístico do Festival em 2011. Em 2017, assumiu a direção artística do
Theatro São Pedro. Trabalhou também como professor de Composição, Análise
Musical e Harmonia nas Faculdades Cantareira, Mozarteum e FAAM. Tem dois
livros publicados: Ouvir o som (2005) e Música e tecnologia (2004). Escreveu
obras instrumentais e eletroacústicas gravadas em CDs. Foi condecorado pelo
Ministério da Cultura da França com a ordem de Chevalier dans l’Orde des Arts
et des Lettres em 2013. Foi criador e faz parte do conselho artístico da
Camerata Aberta, atua também como o diretor-presidente da Associação
Brasileira das Organizações Sociais de Cultura – ABRAOSC. É conselheiro do
Instituto Curitiba de Arte e Cultura – ICAC e do Instituto Elga Marte.

Ricardo Appezzato – Percussionista e regente. Tem mestrado em música pela
Universidade Federal de Minas Gerais, desenvolvendo sua pesquisa na área de
performance musical. Cursou especialização lato sensu na área de
Administração de Empresas pela FAAP – Fundação Alvares Penteado. É
bacharel em música com especialização em instrumento – Percussão pelo IA da
UNESP

Livia Sabag – Encenadora de ópera e curadora de projetos de música e teatro.
Suas produções vêm sendo aclamadas pelo público e pela crítica especializada.
Entre seus mais recentes espetáculos premiados estão as montagens de
L’Italiana in Algeri, realizada no Theatro São Pedro de São Paulo em 2019, e

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
Salomé, realizada no Theatro Municipal de São Paulo em 2014. Em 2020
assinou a curadoria da 8ª edição do Festival de Música do Espírito Santo
indicada ao Prêmio “Reinvenção na Pandemia” da Revista Concerto.

Gabriel Rhein-Schirato – Graduado na USP com especialização e pós-
graduação na Alemanha. Tem regido e ministrado aulas sobre a interpretação
do repertório operístico pelo país. É cofundador do Opera Studio da Fundação
Theatro Municipal de São Paulo. Foi também coordenador da Academia da
Fundação Clóvis Salgado 2020 e professor de repertório e interpretação nos
Festivais de Ópera do Theatro da Paz em 2020 e 2021.

Academia de Ópera 2021 – Parte integrante da Temporada de Ópera 2021,
a Academia de Ópera está em curso durante o segundo semestre deste ano
com o “Ateliê de Criação: Dramaturgia e Processos Criativos”. Com curadoria do
maestro Gabriel Rhein-Schirato e da encenadora de ópera Lívia Sabag, essa
atividade consiste em uma formação gratuita e inédita sobre dramaturgia
voltada para ópera, composta por aulas, debates, entrevistas e a montagem de
um espetáculo inédito, baseado em obra de um importante escritor mineiro.
Todas essas atividades celebram os 50 anos do Palácio das Artes e um dos
objetivos da Academia de Ópera é promover especialização dramatúrgica sobre
a ópera a partir de uma série de atividades práticas e teóricas que abordam as
relações entre texto e música, a escrita de libretos, os processos criativos de
espetáculos músico-teatrais, a dramaturgia musical em língua portuguesa, as
releituras cênicas de títulos do repertório tradicional, o dramaturgismo e a
crítica musical. Constam também na programação da Temporada de Ópera
2021 a apresentação, no final do ano, de uma encenação resultante do Ateliê
de Criação: Dramaturgia e Processos Criativos, inspirado em obra de um
renomado escritor mineiro.
TEMPORADA DE ÓPERA ON-LINE – Em 2020, a tradição dos encontros com
a arte operística na FCS tomou diferente forma, inaugurando um novo modo de

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
fazer, difundir e refletir sobre a ópera no Brasil e na América Latina. Com
abrangência nacional e internacional, a programação, prioritariamente digital,
impactou diretamente 110 mil pessoas por meio de palestras, aulas, mostra de
cinema, exposição de artes gráficas e apresentação artística. O projeto
disponibilizou 60 atividades gratuitas para o público, com participação de 218
dos principais nomes do Brasil e de alguns profissionais de destaque
internacional, resultando em 178 horas de programação. As oficinas e os cursos
da Academia de Ópera ofertaram 637 vagas. O Recital da soprano ELIANE
COELHO e do pianista GUSTAVO CARVALHO, no Grande Teatro Cemig Palácio
das Artes, com transmissão pela internet, encerrou a Temporada de Ópera On-
line 2020. Devido à originalidade e ao ineditismo do projeto, a Temporada de
Ópera On-line 2020 concorreu ao prêmio CONCERTO, na categoria “Reinvenção
na Pandemia”, promovido pela conceituada Revista Concerto.
INSTITUTO UNIMED-BH – Associação sem fins lucrativos, o Instituto
Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos socioculturais e ambientais
visando a formação da cidadania, estimular o bem-estar e a qualidade de vida
das pessoas, ampliar o acesso à cultura, valorizar espaços públicos e o meio
ambiente. Ao longo de sua história, o Instituto destinou cerca de R$140 milhões
por meio das Leis municipal e federal de Incentivo à Cultura, viabilizado pelo
patrocínio de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores. No último
ano, mais de 7 mil postos de trabalho foram gerados e 3,9 milhões de pessoas
foram alcançadas por meio de projetos em cinco linhas de atuação:
Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e
Cultura, que estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da
Agenda 2030. Neste ano, todas as iniciativas do Instituto celebram os 50 anos
da Unimed-BH. Clique aqui e conheça mais sobre os resultados do Instituto
Unimed-BH. Parceiro da Fundação Clóvis Salgado desde 2000, contribui para a
manutenção dos corpos artísticos (Cia. de Dança do Palácio das Artes, Coral
Lírico e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais) por meio do patrocínio à
Temporada de Óperas.

Fundação Clóvis Salgado – Av. Afonso Pena, 1537 – Centro
Belo Horizonte – MG – 30.130-004 – fcs.mg.gov.br – 31 3236-7400
FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO – Com a missão de fomentar a criação,
formação, produção e difusão da arte e da cultura no Estado, a Fundação Clóvis
Salgado (FCS) é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de
Minas Gerais (Secult). Artes visuais, cinema, dança, música erudita e popular,
ópera e teatro, constituem o campo onde se desenvolvem as inúmeras
atividades oferecidas aos visitantes do Palácio das Artes, CâmeraSete – Casa da
Fotografia de Minas Gerais – e Serraria Souza Pinto, espaços geridos pela FCS.
A Instituição é responsável também pela gestão dos corpos artísticos – Cia. de
Dança Palácio das Artes, Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de
Minas Gerais –, do Cine Humberto Mauro, das Galerias de Artes e do Centro de
Formação Artística e Tecnológica (Cefart). Em 2020, quando celebrou 50 anos,
a FCS ampliou sua atuação em plataformas virtuais, disponibilizando sua
programação para público amplo e variado. O conjunto dessas atividades
fortalece seu caráter público, sendo um espaço de todos e para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *