O organista, compositor, maestro e diretor de ópera belga Bernard Foccroulle participa da série de lives da Academia de Ópera, promovida pela Fundação Clóvis Salgado e pelo Instituto Unimed BH. O compositor será entrevistado pelo maestro Gabriel Rhein-Schirato e pela encenadora de ópera Livia Sabag, curadores da Academia, no próximo sábado, dia 16 de outubro de 2021. A entrevistaterá tradução simultânea para o português e também para Libras, e abordará os desafios do campo da dramaturgia e suas interseções com outras áreas, como composição, encenação, programação artística e democratização do acesso à arte. O debate busca promover um aprofundamento de reflexões sobre o fazer artístico no campo da ópera e áreas afins, trazendo a perspectiva de Foccroulle em sua trajetória como diretor artístico do Teatro Real de la Monnaie, do Festival de Arte Lírica de Aix-en-Provence, e como fundador da Associação Cultura e Democracia.

Segundo Livia Sabag, a admiração e contato com o trabalho Foccroulle resultou no convite para a participação na Academia de Ópera – o diretor foi muito receptivo e aceitou de prontidão. “O trabalho de Foccroulle em um dos principais festivais de ópera do mundo, o Festival Aix-en-Provence, possui alta qualidade artística, pela forma do festival construir sua proposta, pela sua profundidade na programação, e pelo fato deles sempre trabalharem com novas produções”, relata Sabag. Segundo a curadora, há também a preocupação com a formação de público e a sustentabilidade.

Sabag enumera alguns pontos importantes a serem tratados na entrevista com Foccroulle, dando destaque às relações da dramaturgia em intersecção com outras áreas, como composição, encenação, e a programação artística. “Durante as aulas da Academia temos entrado pontualmente na programação artística da Casa de Ópera, e essa entrevista será direcionada para a relação entre a direção geral de um espaço e a dramaturgia de um espetáculo. Quais são os pontos de encontro?”, indaga a curadora. A discussão também permeará o papel do artista e a democratização do acesso à arte na contemporaneidade.

Este evento faz parte de um ciclo de conversas que acontecem todos os sábados, entre 15h e 17h, até o dia 27 de novembro de 2021. Trata-se de uma atividade que integra a Temporada de Ópera On-line 2021, e conta com a participação de artistas e pesquisadores renomados, brasileiros e estrangeiros. As próximas conversas contarão com a participação de grandes nomes, como o dramaturgista alemão Johannes Blum, a pesquisadora do Centro de Estudo de Sociologia e Estética Musical – CESEM, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, Jelena Novak, o encenador brasileiro Allex Aguilera, o compositor, administrador de empresas e diretor artístico Paulo Zuben, o musicólogo, filósofo e coordenador do Grupo de Teoria e Crítica Musical do CESEM, João Pedro Cachopo, entre outros.

Para Eliane Parreiras, presidente da Fundação Clóvis Salgado, a Temporada de Ópera 2021 tem impactos e diálogos com todo o Brasil com o objetivo de difundir a ópera como linguagem acessível a todos. “A edição desse ano é resultado da edição passada em que fizemos reflexões profundas sobre o fazer operístico. Estamos colhendo os impactos causados pelas discussões transversais entre as linguagens, a presença das mulheres em espaços de decisão, bem como o encontro de linguagens em uma mesma obra. Estamos vivendo um momento muito rico, em uma ação inédita no Brasil, que é provocar novos saberes e fazeres no campo operístico. O resultado final do Ateliê de Criação, será o momento de coroação de todo esse esforço que vai unir artistas de campos distintos em uma unidade narrativa que será um espetáculo que será encenado”, revela.

Participantes da live:

Bernard Foccroulle – O renomado organista, compositor e diretor artístico belga Bernard Foccroulle é formado pelo Conservatório de Música de Liège e é especialista em música barroca e contemporânea. Compôs diversas obras para órgão e música de câmara, em especial para viola da gamba. Em janeiro de 1992, Foccroulle sucedeu a Gérard Mortier na direção do Teatro Real de la Monnaie, de Bruxelas, e em janeiro de 2007 foi convidado para ser o diretor geral do Festival de Arte Lírica de Aix-en-Provence, posto que ocupou até 2019. Fundou, em 1993, a associação Cultura e Democracia com o objetivo de transcender fronteiras, culturas e ideologias da arte e promover compartilhamentos de saberes e colaborações na democratização do acesso à cultura.

Livia Sabag – Encenadora de ópera e curadora de projetos de música e teatro. Suas produções vêm sendo aclamadas pelo público e pela crítica especializada. Em 2020 assinou a curadoria da 8ª edição do Festival de Música Erudita do Espírito Santo.

Gabriel Rhein-Schirato – Graduado na USP com especialização e pós-graduação na Alemanha. Tem regido e ministrado aulas sobre a interpretação do repertório operístico pelo país, como nos Festivais de Ópera do Theatro da Paz de 2020 e 2021. É cofundador do Opera Studio da Fundação Theatro Municipal de São Paulo.

Os eventos abertos ao público da Academia de Ópera 2021 integram a Temporada de Ópera on-line 2021 da Fundação Clóvis Salgado e são realizados pelo Governo de Minas Gerais / Secretaria de Estado de Cultura e Turismo, pela Fundação Clóvis Salgado, e correalizados pela Appa – Artes e Cultura. Têm como apresentadora do Programa a  Unimed-BH / Instituto Unimed-BH¹, e como patrocinadores a Cemig e a AngloGold Ashanti, por meio da Lei Federal de Incentivo à Cultura.

¹ O patrocínio da Unimed-BH / Instituto Unimed-BH é viabilizado pelo incentivo de mais de cinco mil médicos cooperados e colaboradores

A Fundação Clóvis Salgado é integrante do Circuito Liberdade, complexo cultural sob gestão da Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult) que reúne diversos espaços com as mais variadas formas de manifestação de arte e de cultura em transversalidade com o turismo. Trabalhando em rede, as atividades dos equipamentos parceiros ao Circuito buscam desenvolvimento humano, cultural, turístico, social e econômico, com foco na economia criativa como mecanismo de geração de emprego e renda, além da democratização e ampliação do acesso da população às atividades propostas.

Academia de Ópera 2021 – Parte integrante da Temporada de Ópera 2021, a Academia de Ópera está em curso durante o segundo semestre deste ano com o “Ateliê de Criação: Dramaturgia e Processos Criativos”. Com curadoria do maestro Gabriel Rhein-Schirato e da encenadora de ópera Lívia Sabag, essa atividade consiste em uma formação gratuita e inédita sobre dramaturgia voltada para ópera, composta por aulas, debates, entrevistas e a montagem de um espetáculo inédito, baseado em obra de um importante escritor mineiro.

Todas essas atividades celebram os 50 anos do Palácio das Artes e um dos  objetivos da Academia de Ópera é promover especialização dramatúrgica sobre a ópera a partir de uma série de atividades práticas e teóricas que abordam as relações entre texto e música, a escrita de libretos, os processos criativos de espetáculos músico-teatrais, a dramaturgia musical em língua portuguesa, as releituras cênicas de títulos do repertório tradicional, o dramaturgismo e a crítica musical. Constam também na programação da Temporada de Ópera 2021 a apresentação, no final do ano, de uma encenação resultante do Ateliê de Criação: Dramaturgia e Processos Criativos, inspirado em obra de um renomado escritor mineiro.

TEMPORADA DE ÓPERA ON-LINE – Em 2020, a tradição dos encontros com a arte operística na FCS tomou diferente forma, inaugurando um novo modo de fazer, difundir e refletir sobre a ópera no Brasil e na América Latina. Com abrangência nacional e internacional, a programação, prioritariamente digital, impactou diretamente 110 mil pessoas por meio de palestras, aulas, mostra de cinema, exposição de artes gráficas e apresentação artística. O projeto disponibilizou 60 atividades gratuitas para o público, com participação de 218 dos principais nomes do Brasil e de alguns profissionais de destaque internacional, resultando em 178 horas de programação. As oficinas e os cursos da Academia de Ópera ofertaram 637 vagas. O Recital da soprano ELIANE COELHO e do pianista GUSTAVO CARVALHO, no Grande Teatro Cemig Palácio das Artes, com transmissão pela internet, encerrou a Temporada de Ópera On-line 2020. Devido à originalidade e ao ineditismo do projeto, a Temporada de Ópera On-line 2020 concorreu ao prêmio CONCERTO, na categoria “Reinvenção na Pandemia”, promovido pela conceituada Revista Concerto.

INSTITUTO UNIMED-BH – Associação sem fins lucrativos, o Instituto Unimed-BH, desde 2003, desenvolve projetos socioculturais e ambientais visando a formação da cidadania, estimular o bem-estar e a qualidade de vida das pessoas, ampliar o acesso à cultura, valorizar espaços públicos e o meio ambiente. Ao longo de sua história, o Instituto destinou cerca de R$140 milhões por meio das Leis municipal e federal de Incentivo à Cultura, viabilizado pelo patrocínio de mais de 5,2 mil médicos cooperados e colaboradores. No último ano, mais de 7 mil postos de trabalho foram gerados e 3,9 milhões de pessoas foram alcançadas por meio de projetos em cinco linhas de atuação: Comunidade, Voluntariado, Meio Ambiente, Adoção de Espaços Públicos e Cultura, que estão alinhados aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Agenda 2030. Neste ano, todas as iniciativas do Instituto celebram os 50 anos da Unimed-BH. Clique aqui e conheça mais sobre os resultados do Instituto Unimed-BH. Parceiro da Fundação Clóvis Salgado desde 2000, contribui para a manutenção dos corpos artísticos (Cia. de Dança do Palácio das Artes, Coral Lírico e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais) por meio do patrocínio à Temporada de Óperas.

FUNDAÇÃO CLÓVIS SALGADO – Com a missão de fomentar a criação, formação, produção e difusão da arte e da cultura no Estado, a Fundação Clóvis Salgado (FCS) é vinculada à Secretaria de Estado de Cultura e Turismo de Minas Gerais (Secult). Artes visuais, cinema, dança, música erudita e popular, ópera e teatro, constituem o campo onde se desenvolvem as inúmeras atividades oferecidas aos visitantes do Palácio das Artes, CâmeraSete – Casa da Fotografia de Minas Gerais – e Serraria Souza Pinto, espaços geridos pela FCS.  A Instituição é responsável também pela gestão dos corpos artísticos – Cia. de Dança Palácio das Artes, Coral Lírico de Minas Gerais e Orquestra Sinfônica de Minas Gerais –, do Cine Humberto Mauro, das Galerias de Artes e do Centro de Formação Artística e Tecnológica (Cefart). Em 2020, quando celebrou 50 anos, a FCS ampliou sua atuação em plataformas virtuais, disponibilizando sua programação para público amplo e variado. O conjunto dessas atividades fortalece seu caráter público, sendo um espaço de todos e para todos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *